domingo, 18 de setembro de 2016

Quando o amor acontece...

Pensei em escrever algo pensando em você. Mas agora vejo que falar de você, é como falar de mim.

Eu sempre fui comedida com meus sentimentos em relacionamentos anteriores. Sempre muito racional, um dos motivos por não ter chegado ao altar até hoje. Mas o principal motivo que me manteve sozinha, em uma jornada de auto-conhecimento incrível, foi você. O caminho que percorri, cada pessoa que fez parte dele, contribuiu para que hoje eu pudesse me sentir completa o bastante para poder somar na sua vida.

Lembro-me muito bem do nosso primeiro jantar e meu medo absurdo de você ser alguém que tirasse a paz que conquistei ao longo de 3 anos sozinha. Nessas horas é crucial um empurrãozinho, e eu tive. Serei eternamente grata a quem me motivou a não ficar em casa debaixo das cobertas, Sim! Estava um frio nível Guarapuava naquela noite. Mesmo assim, motivei-me e fui. Desci trêmula, pensando que talvez tivesse vestida inadequadamente pra você: horas me achava vulgar, horas achava que deveria mostrar alguma coisinha pra te instigar. Ficava pensando em como deveria agir, o que falar e se deveria falar, talvez fosse melhor ouvir. No final, conclui que o melhor seria agir naturalmente, ser eu mesma e não me preocupar com suas conclusões iniciais, não podia controlar isso e nem devia. E quando se trata de algo que não posso controlar, o coração vai a mil, e isso era só o começo.

Por fim te encontrei, você estava perfeitamente bem arrumado e perfumado, tratou-me de forma doce e gentil, como nunca tinham me tratado antes, e quando olhei suas mãos, ví que estavam tão trêmulas quanto as minhas. Foi o início de uma troca de energias boas e a retirada de energias ruins do passado, foi o início de quebras de barreiras e muros que eu havia construído dentro de mim,  foi a prova de que amor a primeira vista existe sim e quando acontece é mágico, o universo conspira e se encarrega de tudo: não vimos o tempo passar, conversamos ao som das músicas mais românticas do mundo e nos beijamos ao som de violinos. Romantismo não programado, sequer imaginado por nenhum de nós dois. Não escolhemos aquele restaurante com quartetos de cordas e decoração de bexiga de corações. A vida nos colocou lá e dessa noite em diante, nunca mais imaginamos nossas vidas sem o outro. 

Hoje, tenho a certeza de que tudo que vivemos nos trouxe até aqui. Nossa bagagem nos aprimorou pra sermos tudo o que sempre sonhamos um pro outro e isso não nos incomoda, temos histórias, não somos os primeiros na vida um do outro, mas tudo que desejamos hoje é que sejamos os últimos. Você foi capaz de transformar a minha vida em uma semana, capaz de me fazer desejar coisas que já tinha riscado completamente da minha vida (isso inclui ser mamãe) e percebo que amor de verdade é sinônimo de paz, segurança, cuidado e respeito.

Vinícius, em um de seus sonetos mais conhecidos, foi capaz de resumir o que penso e desejo hoje, com algumas adaptações:

"(...)

Que não seja imortal, posto que é chama

Mas que seja infinito enquanto dure."


Que seja eterno e infinito enquanto isso nos fizer felizes e tudo que eu quero é ser pra sempre feliz ao seu lado e contribuir pra sua felicidade plena. 



P.S.: Eu vou ficar caduca, você já sabe. Por isso a importância desse blog embolorado e as mocas.







Nenhum comentário: